Full width home advertisement

Arte

Emprego

Post Page Advertisement [Top]


Aos 14 anos, o turvense Luciano Casemiro Junior não chama atenção pela altura dentro de quadra. Com 1, 60m, ele não tem tamanho avantajado que qualquer aspirante a destaque no vôlei deveria ter tradicionalmente. Mas, isso não impede que ele desempenhe com qualidade a sua função durante uma partida de vôlei: líbero.

Isso porque a missão do líbero é fazer a recepção e a defesa. A função foi criada pela Federação Internacional de Voleibol (FIVB) em 1998 com o objetivo de gerar disputas mais longas de pontos e deixar o jogo ainda mais interessante.

Ou seja, o líbero não tem a missão de atacar e a altura não compromete a atuação. O que faz a diferença na quadra é a qualidade técnica nos fundamentos, especialmente, no passe. E essa é a característica principal do jovem turvense.

“O Juninho é um atleta dedicado, concentrado e tem um desempenho técnico acima da sua faixa etária”, assegura o treinador Adilson Tomé, que acompanha o atleta desde o seu início na modalidade há 6 anos.

Juninho precisa de ajuda

Após a participação em campeonatos pelo no Sul do Estado, Juninho acabou chamando a atenção de algumas equipes. Entre os dias 27 e 31 de março, ele passará por uma avaliação técnica no projeto AABB Adessu – Saca Essa Vôlei Total, em Florianópolis.

Caso seja aprovado, o garoto vai disputar a Liga Sul, na categoria Juvenil. Contudo, o desafio do garoto não será apenas mostrar o seu talento para o treinador Guto Vale Pereira, mas arrecadar recursos para chegar até lá!

“O técnico fez um convite ao Juninho após avaliar vídeos, fotos e o seu currículo esportivo. Além disso, o Guto conseguiu alojamento e alimentação durante todo esse período de testes, mas precisamos levantar dinheiro para arcar com o transporte até a capital”, afirma Adilson Tomé.

Morando com os pais Luciano Casemiro e Isabel Nunes dos Santos no bairro São Luis, ele não possui condições financeiras para comprar passagens de ônibus de ida e volta a Florianópolis por conta própria.

“Eu estou muito feliz com essa oportunidade. Só que preciso de alguma ajuda para chegar lá. Eu acompanhei a Olimpíada do Rio pela televisão e vibrei com o Serginho (líbero do Brasil nos Jogos Olímpicos de 2016) no pódio. Desde esse dia, o meu sonho é ser um jogador de vôlei profissional e sei que esta avaliação em Floripa pode ser o primeiro passo”, finaliza Juninho.

Quer ajudar?

Quem quiser ajudar o jovem atleta de Turvo pode entrar em contato com o seu treinador Adilson Tomé pelo telefone: (48) 9 9995-9979.

*Colaboração: jornalista Cristina Possamai.
*Fotos: divulgação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Vinícius Irizaga