Foto em 360: Dicas para você fazer boas imagens

Fotos: Lucas Sabino.
Imagens nesse estilo abrem leque de possibilidades para imaginação do fotógrafo.

Uma imagem tem o poder de provocar sentimentos e estimular reações. Se uma simples foto pode mexer com as emoções das pessoas, imagine o potencial que uma imagem em 360 graus possui.

Com efeito e ângulo diferenciados, essa forma de fotografar vem atraindo as pessoas em geral e os profissionais da imagem. De acordo com o jornalista e fotógrafo Lucas Sabino, de Criciúma (SC), mas que está hoje no Rio Grande do Sul, é possível fotografar com a ajuda de ferramentas.



"Existem diversas maneiras de produzir fotografias panorâmicas, as fotos 360. As técnicas vão desde câmeras mais simples até equipamentos mais sofisticados. Há também equipamentos que, em um clique, você consegue fazer uma foto 360. Para quem não tem estas ferramentas, podem sentir um pouco do que é uma fotografia de imersão, baixando alguns apps como, por exemplo, o Panorama 360. Nele, você vai fazer as capturas e o próprio programa vai unir as imagens, bem simples", explica.

O fotojornalista também trabalha com imagens para o Google Street View para empresas, divulgando as marcas e proporcionando uma experiência diferenciada para os clientes. 

"Fotografar para o Google é muito bacana. Fazer algo onde as pessoas vão acessar e interagir com a imagem é fantástico. É algo bem desafiador porque são técnicas diferentes, você tem que fazer uma sequência de imagens para poder fazer uma foto 360. Então, é necessário atenção na questão de nível, iluminação, posicionamento para que na hora da edição, não tenha problemas", destaca, ressaltando a importância do preparo e do destaque que essa forma de fotografar vem ganhando.

"Eu comecei a fazer fotografia 360 faz cinco meses, mas é algo que estou estudando para produzir uma grande variedade de imersões, inclusive para o jornalismo. As mídias, após o Facebook aceitar este formato de imagem, começaram a utilizar em suas reportagens. É algo que vai crescer muito nos próximos anos, com o acesso mais facilitado para equipamentos com valores melhores e também as pessoas vão perceber que é uma ferramenta muito interessante, tanto para atrair clientes como também para complementar um trabalho jornalístico", conta.  

E sobre a técnica e preparação das fotos, o profissional destacou que é preciso estar atento ao uso de programas de tratamento de imagem, que não devem substituir os cuidados tomados pelo fotógrafo na hora de fazer um registro de qualidade. 

"Então, como atuei e ainda faço trabalhos como fotojornalista, eu não costumo utilizar o Photoshop. Acho que no fotojornalismo é inadmissível utilizar o Photoshop para alterar ou acrescentar algo na fotografia, porque aí não é fotojornalismo. Você pode apenas utilizar a ferramenta para dar um pouco mais de claridade naquela foto que ficou escura, ou diminuir o contraste, mas o ideal é fazer uma foto que não precise dessas ferramentas. Mas nunca alterar a foto. Mas tem outros estilos de fotografia que são utilizados e ficam trabalhos espetaculares. Na fotografia 360, eu utilizo um pouco mais para poder retirar algo, como a imagem do tripé que eventualmente aparece", salienta o fotógrafo.

Além de fotografias em 360 graus, Lucas também já registrou fotos do cotidiano das cidades, confira um pouco de seu trabalho:




*Texto: Vanessa Irizaga.



Compartilhe no Google +

Sobre Vanessa Irizaga

O autor desta postagem é um dos escritores do site Mistura Alternativa. Gostou? Comente abaixo.