Grupo de gestantes da Casa da Fraternidade recebe visita de doula



Na tarde de sábado, dia 5, o grupo de gestantes da Casa da Fraternidade recebeu a visita especial da fisioterapeuta pélvica e doula Francielle Silvano Cardozo, que repassou orientações, esclareceu dúvidas e ainda realizou exercícios com as mamães presentes no encontro. 





A reunião foi realizada na sede da entidade no bairro Lagoão, em Araranguá, na região sul de Santa Catarina. O encontro também contou com a presença de familiares das grávidas.

A idealizadora desse grupo é a psicóloga Rosane Irizaga Lucrécio, que fez um convite à doula para levar informações sobre temas relevantes às grávidas. Francielle é doula há quatro anos e atua em Criciúma e região, e explicou que esse trabalho acompanha a gestação das grávidas e auxilia no trabalho de parto.

Na reunião, a fisioterapeuta destacou temas importantes como parto humanizado, violência obstétrica e saúde da mulher. Um dos pontos relevantes da conversa foi sobre conhecer o próprio corpo e ter uma visão tranquila do assunto, algo importante para as mulheres que chegam nessa etapa da vida e também na educação dos filhos, já que os pequenos têm curiosidade de saber sobre si mesmos.

Além disso, é necessário preparar o companheiro ou companheira para dar suporte à gestante e fazer o parceiro/a parceira participar do momento. “É importante que ele/ela se prepare para fazer uma massagem nas costas, para servir de apoio”, ressalta.

Outro ponto importante é as mães saberem que não precisam se submeter a práticas não obrigatórias que trazem certa agressão ao organismo, como a lavagem intestinal, ou mesmo aceitarem a falta de sensibilidade de profissionais não preparados, já que não informar à gestante sobre procedimentos a serem realizados, ou a agressão verbal ou fisica configuram como violência obstétrica e, por isso, as mães precisam ficar atentas aos direitos que têm.

Nesse sentido, a doula orienta que as gestantes elaborem o Plano de Parto, um documento que vai conter as orientações de como o parto deve ocorrer, como por exemplo, a posição em que prefere ganhar o bebê – se é de cócoras, de lado, entre outros aspectos.

Uma atitude importante que Francielle destaca é que a grávida visite o hospital no qual deseja realizar o parto e verifique se os profissionais podem realizar as ações descritas no Plano de Parto, bem como apresentar ao médico o documento.

E, por fim, a fisioterapeuta pélvica realizou exercícios de alongamento para prevenção e tratamento de dores e alterações posturais da gestação com as mães, movimentando  a tarde das gestantes. Quem quiser mais informações, pode falar com Francielle pelo telefone (48) 9-9909-9121.

Sobre o grupo

O grupo promove atividades gratuitas e as participantes se reúnem a cada 15 dias. Os encontros são realizados da 14h às 15h30min, na Casa da Fraternidade, na Rua Pedro Gomes, número 740, no bairro Lagoão. O projeto orienta as gestantes sobre o significado da gravidez e fortalece a rede de apoio a essas mães, além de prestar o acompanhamento a aspectos importantes, como a realização do pré-natal, e estimular a autoestima na maternidade.

As mães também vão ganhar um enxoval. E o trabalho de confecção é desenvolvido por voluntárias da Casa, que criam os kits por meio do Projeto Mulheres Solidárias Renascer.

Sobre a Casa da Fraternidade

A Instituição Espírita Casa da Fraternidade, fundada em 1987, oferece apoio sociofamiliar e educacional, estimula a promoção da cultura e esporte, e realiza eventos de integração envolvendo a comunidade. O número da entidade é (48) 3527-0214. A Casa funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 h, sem fechar ao meio-dia.

Saiba mais sobre a Casa pelo Facebook  e site.

*Texto e fotos: jornalista Vanessa Irizaga/Assessoria de imprensa voluntária.
Compartilhe no Google +

Sobre Vanessa Irizaga

O autor desta postagem é um dos escritores do site Mistura Alternativa. Gostou? Comente abaixo.