Arte

Emprego

Post Page Advertisement [Top]

Agora as crianças que precisam ficar internadas no serviço de oncologia pediátrica do Hospital São José, em Criciúma, poderão imaginar que estão dando uma volta no espaço, que foram passear na floresta, recebendo a visita do Homem-Aranha e Minions ou passeando em algum lugar do mundo. 

Tudo isso, por que o setor ganhou um colorido especial, graças ao grafiteiro Ricardo Harok, que teve a ajuda dos artistas Aline Feliciano e Éder Martins. 
O trabalho foi idealizado depois que a direção da entidade solicitou que o setor ganhasse uma pintura diferenciada, um colorido, algo diferente. E assim foi feito. 
  
  
  
Por meio do serviço de Captação de recursos do Hospital - serviço de Telemarketing, que está atuando com a campanha Heróis de Verdade e busca recursos para o setor de oncologia, foi possível realizar o trabalho. Agora, quem chega ao segundo andar do HSJosé, onde fica localizado o serviço de oncologia pediátrica da instituição, confere as mudanças. 

É possível ver pintados um elefante, uma girafa, um urso e muitos outros bichos que fazem a alegria das crianças. No teto, uma viagem ao espaço foi desenhada e com a imaginação das crianças, “pode pegar o foguete e ir para o espaço”; já em outro lado,  pontos turísticos foram pintados.

“Trabalho há mais de 10 anos com a técnica de grafite, mas este trabalho foi um desafio, pois meu trabalho é diferente do que fiz aqui. Trabalho com tinta spray e tivemos que adaptar, devido ao cheiro das tintas, e a forma que teríamos que pintar o lugar, com pincéis e tinta acrílica a base de água. Mas até aí tudo certo; mas o maior desafio foi ver a dor daquelas crianças e quis então fazer o meu melhor. E o mais importante de tudo para mim, foi ver a alegria delas até mesmo quando pintava as paredes. Estar aqui foi uma mistura de sentimentos. Mas nossa ideia foi trazer um pouco mais de alegria para o setor; novos sorrisos para os pacientes e creio que conseguimos”, comenta o artista. 

O objetivo da direção com a pintura do local é trazer as crianças por alguns momentos que seja, para um lugar alegre, fazer com que vivam o momento; esquecendo a dor por algum momento. 
  Os pacientes, diariamente, realizam atividades lúdicas com fisioterapeuta e terapeuta ocupacional; mas o local principalmente para os que chegam, causa um pouco de receio, afinal de contas, irão tratar uma doença.

Uma das médicas do setor afirma que a nova pintura trouxe mais alegria. “O ambiente está mais alegre, trouxe o lúdico para cá. Tenho certeza que vai ajudar muito, principalmente ao que chegam pela primeira vez, pois estão assustados e assim ficam mais colaborativos. Agora parece mais uma brinquedoteca do que um ambiente hospitalar”, ressalta Dra. Juliana Dal Ponte Bitencourt, médica oncologista pediátrica do HSJosé.

Do lado de fora da janela, desenhos

Dos quartos, é possível ver paredes da parte externa do hospital. Mesmo com as cortinas que muitas vezes são utilizadas, Harok, a pedido da médica do setor, percebeu que o local poderia ganhar uma pintura também.

“A ideia da pintura externa, eu sugeri, pois sei que nossos pacientes são verdadeiros heróis; e eles gostam dos heróis. Sugeri ao Herok se poderia ser feito algo na parede externa, onde ele teve a ideia de fazer um Homem-Aranha pendurado; os Minions e estes desenhos tornaram o ambiente  terapêutico para as crianças. Este trabalho lúdico que colocamos junto ao tratamento, alivia muito os pacientes, é sempre muito importante. Tudo que pudermos fazer para amenizar, nunca vai ser o suficiente e nunca vai ser demais. Então um pequeno carinho, um agrado, uma pintura, são ações que para as crianças fazem a diferença”, enfatiza Dra. Adalisa Reinke, médica oncologista do hospital. 

Todo desenvolvimento do trabalho levou cerca de uma semana para ser finalizado. Foram 16 cores utilizadas para deixar o ambiente pronto. Para fechar o trabalho com chave de ouro, Harok quis presentear as crianças com uma encenação, convidou um colega, que se veste frequentemente de Homem-Aranha para juntos trazerem alegria para as crianças.

Como forma de brincadeira, eles encenaram que o herói estava escondido vendo o artista fazer sua pintura, quando, de repente, se encontram e vão até as crianças que assistiam tudo de “camarote”, pela janela do quarto. “Ver o sorriso, nos deixou ainda mais felizes em poder contribuir com o tratamento destas crianças", finaliza Herok. 

*Com informações e imagens da jornalista Kátia Farias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Vinícius Irizaga