Full width home advertisement

Arte

Emprego

Post Page Advertisement [Top]

A beleza dos mares foi ressaltada mais uma vez na revitalização da exposição “Ecossistema Marinho”, do Museu de Zoologia Professora Morgana Cirimbelli Gaidzinski da Unesc. São 207 novas espécimes em um cenário com baleias, golfinhos, peixes, lobos e leões marinhos, pinguins, moluscos e aves que sobrevoam os mares.
A reinauguração do espaço ocorreu na tarde de quinta-feira, 28, em um cenário totalmente inspirado no fundo do mar. Sob um manto azul, que cobriu o forro do bloco Administrativo da Universidade onde estão expostos os animais marinhos, outra novidade foram os gigantescos peixes robôs, que flutuaram sob o público.

O peixe palhaço e os três tubarões acrescentaram mais brilho ao já encantador mundo marinho apresentado ao público. O novo acervo incluiu esqueletos de baleias orca e cachalote, aves, mamíferos, moluscos entre outras espécies, que chegaram ao Museu após encalhes e coletas no litoral sul catarinense.

Segundo a professora Morgana Cirimbelli Gaidzinski, que coordena o espaço, a beleza do local traz reflexões sobre cuidados com o meio ambiente. “Criamos esta exposição em um momento que os mares agonizam e repensar é necessário. Nossos espaços são ricos, diversos, belos e de uma triste origem, que nos faz repensar atitudes e buscar meios de educar e preservar o planeta”, frisa Morgana.

A mostra fica aberta permanentemente no hall do bloco administrativo da Unesc, onde também está exposta o maior exemplar do museu, a baleia ade Bryde, um esqueleto com 13 metros de comprimento. 

Com mais de 1500 itens, o Museu de Zoologia da Universidade é um dos mais importantes acervos do país, com significativa contribuição para pesquisas, turismo e educação.

Fundado em 2002, por meio de uma parceria com a Policia Militar Ambiental, já recebeu mais de 300 mil pessoas de 793 instituições. Além de receber estudantes de escolas de Criciúma e região, a equipe do Museu também contribui com a conservação do ambiente marinho no litoral de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Por meio de monitoramentos, os biólogos catalogam as espécies, zelam pelo melhor ambiente para a fauna local e realizam atendimentos aos animais encalhados.

*Com informações e fotos da Assessoria de Imprensa da Unesc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bottom Ad [Post Page]

| Designed by Vinícius Irizaga