Star Wars: A saga que conquistou crianças e adultos



No dia 4 de maio, o Dia Mundial de Star Wars é lembrado pelos fãs da saga que conquistou crianças e adultos de diferentes gerações. A data em inglês é um trocadilho com a famosa frase  “Que a Força esteja com você”, adaptada para “May the Fourth be with you" (“Que o 4 de maio esteja com você”).

Os seis primeiros filmes trazem a história da luta dos combatentes rebeldes e Cavaleiros Jedi contra o Império e a ameaça dos lordes Sith.

A guerra se passa “há muito tempo, numa galáxia muito, muito distante”, mas o encantamento das pessoas por essa série permanece vivo até hoje. O primeiro filme lançado foi “Star Wars:  Episódio IV - Uma Nova Esperança” (1977) e traz a jornada de Luke (Mark Hamill), um jovem que tem uma vida bem pacata, mas que recebe uma visita inesperada e parte para uma grande aventura espacial contra o temido Império, que governa a galáxia com mãos de ferro.

Ao longo dos demais filmes da primeira trilogia, “Episódio V - O Império Contra-Ataca” (1980) e “Episódio VI - “O Retorno de Jedi” (1983), o público descobre lugares inusitados, acompanha batalhas de sabres de luz incríveis e conhece personagens inesquecíveis, como o contrabandista cheio de histórias, Han Solo (Harrison Ford), e a Princesa Leia (Carrie Fisher), que reprisaram os papéis na continuação da história lançada em 2015: “Episódio VII - O Despertar da Força”, que apresentou novas figuras à franquia.

Agora a jovem catadora Rey (Daisy Ridley), o ex-Stormtrooper Finn (John Boyega), o vilão Kylo Ren (Adam Driver) e o aviador Poe Dameron (Oscar Isaac) são os novos rostos da saga, que conta também com o herói da trilogia original, Luke.

E os fãs já fazem contagem regressiva para a estreia do próximo filme, que será no dia 14 de dezembro deste ano: “Star War: Episódio VIII - Os Últimos Jedi”.

O colaborador do suporte técnico da empresa de tecnologia Contato, de Santa Catarina, Alyson Reinaldo Prudêncio, viu todos os filmes, além da produção derivada “Rogue One: Uma História Star Wars” (2016), que se passa um pouco antes da trama de “Episódio IV”. No filme recente, guerreiros rebeldes partem para uma arriscada missão de roubar os planos da Estrela da Morte, uma terrível arma de destruição em massa.

E Alyson começou a gostar dos filmes por influência de um amigo e considera Darth Vader seu personagem preferido. É impossível não associar a sombria figura meio máquina meio homem com a série. Sobre o interesse das pessoas por Star Wars, o rapaz acha que são vários os elementos envolvidos que explicam esse fascínio.

“Acho que é o carisma dos personagens, pela história, pela conexão com os filmes”, explica. Sobre o filme que estreia no fim do ano, Alyson tem algumas teorias sobre o enredo da produção:

“É ver o Luke de volta à ativa e mostrar como ele cresceu na história; como vai ser ele como professor e se vai ensinar a Rey”, especula.

Já o estudante de Produção Multimídia na Unisul e redator de conteúdo, Diego Lopes Silveira, também está com uma boa expectativa para a estreia, mas não quer especular muito sobre as teorias envolvendo o filme, preferindo ir ao cinema tranquilo, “de mente aberta”.

“Só não fui no dia da pré-estreia (de “O Despertar da Força”) porque não pude. Minha empolgação quando o filme começou e todos os sorrisos que não consegui segurar no decorrer do filme fazem parte de um dia inesquecível. Foi um filme fantástico que, arrisco dizer, simplesmente não errou. Também adorei 'Rogue One', que esteve nos cinema ano passado, até considero um filme subestimado. Mal posso esperar pelo novo episódio saindo este ano - se puder, estarei lá no primeiro dia. O mais interessante sobre isso é que não me considero ‘o maior fã’ de Star Wars, mas ainda assim, é impossível resistir - adoro me deixar empolgar pelo frenesi de poder ver um novo episódio. Ainda mais agora que a saga voltou à forma”, ressalta o jovem.

Para Silveira, apesar de toda a mídia enaltecer a franquia e, consequentemente, o surgimento de propagandas, lançamentos de games e brinquedos, a série já provou sua qualidade e poder de alcance.

“O marketing certamente ajuda, mas o que George Lucas (criador da saga e diretor de alguns filmes da série) não tem de diretor e escritor, ele tem de sobra em criação de mundos. O mundo de Star Wars é fascinante demais, pois até nos exemplares mais fracos da saga, o universo SW nunca deixa de encantar. As locações, as criaturas, os equipamentos, a música, até os efeitos sonoros... mas os personagens originais certamente ajudaram. Vimos Luke Skywalker desde quando era um jovem sem direção até virar um mestre Jedi. Vimos Han Solo deixar de ser um cafajeste individualista e encontrar sua honra. A Princesa Leia foi um toque importantíssimo, pois esta foi uma forte personagem feminina numa época em que estas eram escassas - o que certamente ajudou a manter a saga aberta a todos os gêneros, não apenas um ‘filme de homem’ (detesto essa expressão). Até mesmo a jornada de Anakin e a ascensão do Imperador nunca deixa de ser interessante, por mais problemática que seja sua exposição nas prequels. Então, se eu tivesse que escolher, ficaria entre os personagens (a base da maioria dos grandes filmes da história) e esse universo SW que nunca para de dar luz a novas histórias”, ressalta.

Muitos fãs consideram o quinto filme o melhor da série. E para o jovem, não é diferente. “Como muitos, ainda considero ‘Episódio V: O Império Contra-Ataca’ como o melhor da saga, pelo menos até agora. O longa original é uma aventura empolgante do começo ao fim, mas ‘Episódio V’ foi o momento em que a saga se tornou ‘algo mais’ para mim. A presença de Yoda é sempre interessante, trazendo novas informações sobre a Força; a ação ficou maior e melhor; o filme sabe manter a leveza do original, mas não se acanha de apresentar elementos mais sombrios”, conta.

Star Wars na Netflix

Os seis primeiros filmes da franquia estão na Netflix: “Episódio I: A Ameaça Fantasma” (1999); “Episódio II: Ataque dos Clones” (2002), “Episódio III: A Vingança dos Sith” (2005); “Episódio IV: Uma Nova Esperança”; “Episódio V: O Império Contra-Ataca” e “Episódio VI: O Retorno de Jedi”.

Além dos filmes há duas séries de animação relacionadas ao universo SW que contém novos e também antigos personagens: “Star Wars:  The Clone Wars” e “Star Wars Rebels”. Há também documentários e um filme “Lego” da série.



















*Texto: Vanessa Irizaga. 
*Foto ilustrativa/divulgação: Pixabay.



Compartilhe no Google +

Sobre Vanessa Irizaga

O autor desta postagem é um dos escritores do site Mistura Alternativa. Gostou? Comente abaixo.