Cosplayer catarinense vira personagens de anime e cinema



A prática do cosplay permite algo incrível: ver no mundo real personagens do cinema, de animes, quadrinhos, séries e outras produções da Cultura Pop. Quem compartilha desse costume de se vestir como um personagem e representá-lo é a auxiliar financeira Renata Bez Birolo Lopes, de 31 anos, de Criciúma, cidade na região sul de Santa Catarina.




A catarinense também organiza o Tanuki World Fest, evento do Estúdio Tanuki, que reúne atrações como concursos de cosplayer, exposições temáticas e apresentações. E no evento, Renata fez cosplay da heroína Babydool do filme “Sucker Punch”, personagem com quem ela se identifica pela personalidade e características físicas e que já representou em outras oportunidades.

Além dessa, a cosplayer já fez a Android 18, do anime “Dragon Ball”, e Mizukage, de “Naruto Shippuden”. O próximo cosplay que ela deseja fazer é a guerreira She-Ra, a primeira heroína com a qual Renata se identificou.



Ela começou a ter esse hobby quando participou de um evento temático em 2012. “Iniciei a fazer cosplay após ir a um evento do Rio Grande do Sul, o Animextreme. Sempre gostei de personagens de Comics e Animes e decidi dar vida a eles. O que mais atrai é a possibilidade de conhecer muitas pessoas e novos personagens”, conta. E um dos próximos eventos que ela deve participar é o AnimeBuzz, também no RS, que ocorre nos dias 19 e 20 de agosto, em Porto Alegre.

Nesses encontros, o visual é um aspecto muito importante do cosplay. “Já tive uma costureira nos primeiros, porém atualmente quem confecciona minhas peças é o Tanuki Blacksmith, um  segmento dentro do Estúdio Tanuki, com cosmakers”, conta. 

Um dos desafios para as mulheres que curtem esse universo é o bullying cometido contra gamers e atitude invasiva com cosplayers. Renata acredita que houve progresso com relação ao preconceito contra o público feminino, mas ainda há muito o que melhorar.

Sobre a representação atual das mulheres na Cultura Pop, a cosplayer considera positivo o lançamento de seriados, filmes e outras produções, mas esse processo ainda é longo.

Finalmente foi dada a devida atenção a elas, mas ainda estão pecando na valorização das atrizes. Recentemente saíram na imprensa dados do cachê da Gal Gadot (atriz), como Mulher-Maravilha, que ganhou muito menos do que o Henry Cavill (ator), com seu Superman. Além disso, tem personagens fantásticas, como a Feiticeira Escarlate, que é uma das mais fortes e está bem ‘apagadinha’ ainda nos filmes. Porém, claro, estão começando a dar a devida atenção a heroínas! Estou torcendo por um filme solo da Viúva Negra... e queria algo bacana da Tempestade também, já que o Pantera Negra, tá aí, nê?”, ressalta.

*Texto: Vanessa Irizaga, jornalista formada em Comunicação Social/Jornalismo, estudante de Pedagogia e idealizadora do Mistura Alternativa.
*Fotos: Thiago Abreu/Photo Style e Cosplay Brasil.



Compartilhe no Google +

Sobre Vanessa Irizaga

O autor desta postagem é um dos escritores do site Mistura Alternativa. Gostou? Comente abaixo.